Cintilografia é o exame de imagem que utiliza pequenas quantidades de substâncias radioativas ou “traçadores” para diagnosticar doenças.
Essas substâncias são atraídas para órgãos, participando do seu metabolismo, e as suas emissões captadas pelo equipamento chamado de Gama Câmara que, com auxílio de computadores, são transformadas em imagens.
Portanto, a cintilografia representa a imagem da função do órgão em estudo, condição que muitas vezes não se consegue reproduzir com outros exames de técnica anatômica, como a ultrassonografia, ressonância ou tomografia computadorizada.
O Médico Nuclear é o responsável por planejar, interpretar e emitir os laudos das cintilografias.

Como é o exame?
Apesar da grande variedade as cintilografias seguem, basicamente, 3 passos principais: administração do traçador, obtenção de imagens e análise das imagens.
Os traçadores geralmente são injetados na veia, mas também podem ser inalados ou ingeridos por via oral e eventuais efeitos colaterais ou reações alérgicas são extremamente raros.
Cada cintilografia tem a sua técnica específica, na dependência da função do órgão a ser estudado, portanto a obtenção de imagens e conclusão do exame pode ser imediata ou levar horas. Portanto, leia com atenção as informações disponibilizadas no agendamento do exame.
A aquisição de imagens é simples e, em geral, é feita com o paciente deitado, não havendo túneis ou outras condições desconfortáveis.

Para que serve?
A Medicina Nuclear é a especialidade médica deste segmento da medicina e, apesar de ter grande aplicação para fins de diagnósticos, ela também tem finalidade terapêutica para certas doenças, como por exemplo, hipertireoidismo, câncer de tireóide, doença de Plummer, dor óssea e outras.
A Cintilografia é um método seguro, indolor e de baixo custo, com elevada sensibilidade para detectar alterações na função de um determinado órgão, muito antes delas se mostrarem aparente para outros exames.

Importante:
A maiorias dos exames de Medicina Nuclear não exige nenhum preparo especial. Se for necessário alguma condição especial, ela será informado ao marcar o exame.
Informe ao seu médico se estiver grávida ou amamentando, pois os exames devem ser evitados nesse período, salvo condições imperativas.
A maioria dos radiotraçadores é eliminada pelo corpo naturalmente, porem beber muito líquido após o exame irá ajudar a eliminar mais rapidamente.

Cintilografias mais comumente realizadas no IMN:

Cintilografia óssea – Permite avaliar lesões ósseas, fraturas, tumores ou dores sem causa definida. É especialmente importante no estadiamento e acompanhamento de tumores de mama e próstata.

Cintilografia do miocárdio – Permite estudar o músculo cardíaco, medir a função contrátil, avaliar avaliar a perfusão sanguínea nas coronárias para identificar isquemias ou determinar a extensão de dano no músculo cardíaco após o infarto do miocárdio. Pode ser realizada em repouso e após estresse fisico ou farmacológico.

Cintilografia da tireóide – Permite avaliar a função e a morfologia da glândula, especialmente o comportamento funcional de nódulos, ectopias etc.

Cintilografia das paratireoides – Permite avaliar hiperplasias, adenomas, ectopias etc. quando são detectados desvios do metabolismo de cálcio e/ou sinais de disfunção das glândulas paratireoides. É especialmente indicada para identificação e planejamento cirúrgico de hiperplasias, sobretudo em renais crônicos.

Cintilografia renal estática (Qualitativo-Quantitativa) – Permite avaliar a morfologia renal, a função secretora, sobretudo na identificação de cicatrizes, infecções e outras alterações. É especialmente importante no acompanhamento de infecções urinárias repetitivas para avaliar danos corticais.

Cintilografia renal dinâmica – Permite avaliar a função glomerular (filtração) e função excretora. As imagens seriadas e construção de curvas temporais de filtração e excreção por método computadorizado possibilita uma excelente visualização da dinâmica renal, particularmente em doenças obstrutivas, como cálculos, estenose da junção ureteropiélica (JUP) e outras. O exame pode ser acrescido de provas farmacológicas com urético, captopril e outras, que podem acrescentar mais informações ao método.

Cintilografia de trânsito esofágica – Permite determinar o tempo de trânsito do esôfago, desde a deglutição até a chegada ao estômago. A curva temporal da atividade nas porções, proximal, média e inferior possibilita identificar e quantificar retenções especialmente em doenças que comprometem a motilidade esofágica como a esclerodermia e outras condições.

Cintilografia esofágica para pesquisa de refluxo gástrico – Permite identificar a presença de refluxo gastroesofágico. Através das imagens sequenciais e curva temporal da atividade esofágica é possível uma boa avaliação quantitativa da doença do refluxo gastroesofágico, especialmente em crianças, para adequação medicamentosa.

Cintilografia de esvaziamento gástrico – Permite quantificar o tempo médio de esvaziamento do estômago. Este exame está indicado em diversas condições que diminuem a motilidade gástrica. É muito comum acompanhar a pesquisa de refluxo para quantificar a motilidade gástrica e, consequentemente, instituir e monitorar a terapia medicamentosa.

Cintilografia pulmonar – Permite avaliar a ventilação e a perfusão sanguínea pulmonar, assim como determinar a presença de trombos. Está, especialmente, indicada nas doenças tromboembólicas pulmonares e obstrutivas crônicas.

Cintilografia hepatobiliar – Permite avaliar as funções do fígado e vesícula biliar, especialmente em processos obstrutivos por cálculos e inflamatórios.

Cintilografia de Perfusão Cerebral – Permite avaliar a perfusão do córtex cerebral e núcleos da base. Encontra indicação quando se deseja estudar qualquer processo que possa comprometer a perfusão do cérebro, com particularidade na caracterização de demências com Alzheimer.

Há vários outros estudos que podem ser solicitados para esclarecimento diagnósticos: Linfocintilografia, Dacriocintilografia, Estudos com Gálio para avaliar infecção/tumor, Pesquisa de Sangramento Digestivo etc.

ALGUMAS IMAGENS DOS NOSSO EXAMES:

1 – Cintilografia do miocárdio após esforço físico em esteira ergométrica e em condição de repouso em um paciente com pouca sintomatologia clínica, apesar da riqueza de imagem obtida.
Podemos observar, com grande facilidade, evidente diferença de imagens nas duas condições estresse e repouso, caracterizando importante isquemia miocárdica no território da Artéria Coronária Descendente Anterior,

MIOCARDIO ISQUEMIA

2 – Cintilografia das Paratireoides em paciente portador de Insuficiência Renal Crônica, submetido a hemodiálise, e que passou a ter sintomatologia suspeita, com elevação do paratormônio.

Neste caso, o exame visou identificar a existência de glândula hiperplásica, a sua localização, objetivando planejamento cirúrgico adequado, o que ficou facilmente evidente na imagem a seguir.

PARATIREOIDE 3

3 – Cintilografia Óssea em paciente portador de neoplasia de próstata com metástases disseminadas pelo esqueleto.

A cintilografia óssea tem papel fundamental no acompanhamento dos pacientes portadores de neoplasia, em especial nos cânceres de próstata e mama, porque eles produzirem lesões com grande osteogênese, para as quais o exame cintilográfico é o método de maior sensibilidade.

ÓSSEA METASTASES DE PROSTATA

4 – Outro exemplo de cintilografia óssea em doença óssea displásica, onde pode ser observada a grande extensão das lesões.

ÓSSEA DISPLASIA FIBRÓTICA POLIOSTÓTICA

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

5 – Cintilografia para Pesquisa de Refluxo Gastroesofágico em uma criança com pneumonias de repetição.

O exame é especialmente indicado em pediatria e visa identificar e quantificar episódios de refluxo, além de acompanhar o tratamento.

Na imagem e no gráfico de variação da atividade esofágica podemos, facilmente, identificar e quantificar os episódios de refluxo gastroesofágico.

RGE Refluxo

6 – Cintilografia para estudo do esvaziamento gástrico em criança portadora de refluxo gastroesofágico.

O exame, geralmente acompanha o anterior, e visa determinar o tempo médio de esvaziamento gástrico com a finalidade de identificar distúrbio de motilidade, para tratamento e acompanhamento da doença do refluxo gastroesofágico.

No exame, o gráfico de variação da atividade gástrica mostra um tempo de esvaziamento levemente aumentado.

ESVAZIAMENTO GASTRICO